Praça Marquês de Pombal

Vila Real de Santo António
VRSA , 8900-000 , VRSA , Vila Real de Santo António
http://www.cm-vrsa.pt/

É o principal largo da cidade, perfeitamente quadrado com 330 palmos (22cm cada palmo). Os seus quatro lados, hoje ornados com árvores, e assentos, tornam a praça encantadora. No início apelidava-se de Praça Real, depois Praça do Comércio, e atualmente tem o nome de Praça Marquês de Pombal, em memória do seu fundador.

O traçado geométrico do urbanismo pombalino constitui um exemplo único do Iluminismo em Portugal? Todas as ruas da cidade confluem para a Praça Marquês de Pombal, com um obelisco central (monumento erguido ao Rei D. José), e quatro torreões onde se encontram os edifícios da Câmara Municipal e da Igreja Matriz da Nossa Senhora da Encarnação, o único templo da paróquia. Na marginal do Guadiana a zona histórica é delimitada por outros dois torreões, simetricamente distribuídos em relação ao edifício da Alfândega.  

Neste largo espaçoso, perfeitamente quadrado, cada um dos lados tem precisamente 330 palmos de 22 centímetros. A Praça Marquês de Pombal é o maior impacto urbano e o elemento urbanístico por excelência, depois da fachada da vila. 

A estratégia construtiva utilizada procurou colocar a Praça o mais perto possível do Guadiana, distando deste apenas dois quarteirões. Embora não constituísse o centro geométrico da planta é o centro cívico e comercial da vila. Aí se encontravam a Casa da Câmara e a cadeia a nascente, o Corpo de Guarda a sul e a Igreja a norte. Os restantes edifícios destinavam-se ao comércio no rés do chão e à habitação no primeiro andar. Os quatros cantos da Praça estão marcados por quatro torrões morfologicamente iguais e ao centro ergue-se o Obelisco encimado por uma coroa. Apesar de não ser o centro geométrico, a Praça Real é um espaço central e nuclear, por reunir os serviços públicos e comerciais.

outros pontos de interesse
Património Edificado