Núcleo Pombalino

Vila Real de Santo António
VRSA , 8900-000 , VRSA , Vila Real de Santo António
http://www.cm-vrsa.pt/

Criação

Vila Real de Santo António surge no reinado de D. José I, mandada construir por ordem do Primeiro-ministro, Marquês de Pombal para controlar o comércio na fronteira. A vila foi construída em 1774 sobre o areal junto à foz do Guadiana onde existia uma pequena povoação de pescadores, «Santo António de Arenilha». A vila passou a depender do atum, mais tarde da sardinha, o que levou à instalação de várias fábricas de conserva que trouxeram grande desenvolvimento económico. Com a alteração das zonas de captura iniciou-se na década de 60, uma forte crise na pesca e indústria dando lugar à expansão do turismo.

Cidade Iluminista

Vila Real de Santo António foi projetada para ser a cidade ideal do iluminismo, cuja planta-modelo desenvolvia-se a partir de um elemento central, a praça, da regularidade das ruas e da uniformidade dos edifícios.

A Criação do Núcleo Pombalino surge de um plano pombalino pré- desenhado, com uma malha regular reticulada e cuja implantação estabeleceu-se em função da proximidade do rio e da topologia.

O núcleo urbano pombalino apresenta um traçado octogonal definido por trinta e cinco quarteirões de forma retangular em que o lado de maior dimensão se encontra paralelo ao rio e os quatro quarteirões de formato quadrangular situados no eixo N/S definido pelo Obelisco e pela Igreja Matriz.

A Avenida da República, desenhada para ser a fachada da vila, é representada por sete quarteirões simétricos em relação ao eixo marcado pela Casa da Alfândega, a Casa da Câmara e o Obelisco.

A arquitetura corrente caracteriza-se por edifícios de sobrado na Praça Real e na Baixa Mar, e térreos no resto da malha, desenhados segundo uma métrica rigorosa de vãos e uniformidade de coberturas. As casas térreas, de dois vãos, implantam-se em lotes estreitos com logradouro nas traseiras. Na Praça Real, os sobrados são marcados por porta/janela no piso térreo e janela no superior: na Baixa Mar os edifícios articulam arquitetónica e especialmente os usos comercial e residencial, definidos por portas no primeiro piso e sacadas no segundo.

outros pontos de interesse
Património Edificado